terça-feira, 14 de abril de 2009

RAIO X DE JOÃO 14


Do capítulo 14 ao 16 do evangelho de João, Jesus está tentando preparar Seus discípulos com palavras de conforto com relação à Sua despedida, para que quando acontecesse, eles estivessem confortados pelos acontecimentos que sucederiam àquela hora.

Quando Jesus explica aos Seus discípulos que estava para partir e que iria preparar lugar para os Seus, acrescentou: "Vós sabeis o caminho para onde vou". Todos estavam um tanto entristecidos e a cada hora que se passava maior tristeza lhes invadia o coração. Tomé teve uma certa dificuldade em compreender as palavras do Mestre com relação a Sua partida. "Não sabemos para onde vais; como saber o caminho?" (v.5).

A resposta do Mestre era evidente. Não há outro meio de se chegar até ao Pai se não for por intermédio do Filho do Homem. Alguns tentam introduzir um segundo mediador entre Deus e o homem: "Pede a mãe que o Filho atende", assim dizem os católicos. Já um grande número de cristãos evangélicos e uma maioria dos Adventistas do Sétimo Dia, entendem que existe uma terceira pessoa chamada Espírito Santo que intercede por nós diante do Pai. Entretanto, a Palavra é fiel em dizer que "há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem" (I Timóteo 2:5); "E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos" (Atos 4:12).
Jesus, com ternura, responde a Tomé, "Eu sou o caminho a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai se não por Mim" (v. 6).
Felipe também, atônito, Lhe faz um pedido: "Mostra-nos o Pai" (v.8)
Aqui Jesus expõe toda a Sua intimidade de relacionamento com Seu Pai, pois, diz Ele, que até mesmo as palavras que falava, não as dizia por Sua própria vontade, mas o próprio Espírito do Pai que habitava nEle O impulsionava a dizê-las, e todo aquele que permanecer em Cristo também falará impulsionado pelo mesmo Espírito: "E, quando vos entregarem, não cuideis em como ou o que haveis de falar, porque, naquela hora, vos será concedido o que haveis de dizer, visto que não sois vós os que falais, mas o Espírito de vosso Pai é quem fala em vós" (Mateus 10:19 e 20); e também fará coisas grandiosas como fazia o Filho; e até mesmo maiores do que as que Ele fazia. Da mesma forma que o próprio Mestre havia dito que ninguém poderia ir ao Pai se não fosse por Seu intermédio, assim os remete ao mesmo pensamento de intercessão; tudo seria feito através dEle, até mesmo nossa petição ao Céu deveria ser feita em Seu nome: "E tudo quanto pedirdes em Meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho" (v. 13). Isso contradiz algumas pessoas que fazem suas preces em nome de três pessoas da Trindade.

Jesus Promete Outro Consolador

"E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco" (v.16)
Outro Consolador - O grego nos informa que a palavra traduzida aqui como 'outro' é 'allos'. Significa 'outro do mesmo tipo', ao contrário de 'heteros', que significa 'outro de outro tipo'".
Vamos entender melhor. Suponhamos alguém esteja com sede e uma outra pessoa lhe ofereça um copo de água, e lhe pergunta: "quer outro?", isto quer dizer allos - outro do mesmo tipo - outro copo de água; não é heteros, que seria uma outra substancia liquida qualquer.
Por esta razão Jesus diz aos seus discípulos: "Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros" (v. 18).
Paira uma questão no ar - Será que os discípulos entenderam que o Mestre estava falando que o Parakletos era Ele mesmo que voltaria e Se manifestaria a eles, ou será que entenderam que se tratava de uma outra pessoa em substituição ao Senhor Jesus?
Verifiquemos que no verso 21 Jesus já havia dito aos discípulos que se tratava dEle mesmo; que Ele mesmo se manifestaria àquele que O obedecesse e O amasse. Mas houve uma certa dúvida de como isso aconteceria. Como seria isso possível - que Ele iria, mas voltaria?
Vejamos o que nos diz a Palavra: "Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Donde procede, Senhor, que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo?"

Vamos fazer uma breve análise sintática da sentença acima, na pergunta de Judas:
Para fazer essa análise, o melhor seria transformar a interrogativa em uma declarativa na estrutura sintática:
Senhor, que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo procede donde.

"Senhor" - vocativo do sujeito.
"que estás para manifestar-te e não ao mundo" – sujeito oracional – oração subordinada substantiva subjetiva
"procede" - verbo intransitivo (mas neste caso é transitivo circunstancial porque apesar de ser seguido por expressão que indica local – donde - ele procura uma procedência [de onde vem, de onde provém]) referente ao "PARAKLETOS".
"Donde" - preposição de + advérbio de lugar onde (normalmente seria adjunto adverbial de lugar, mas neste caso é o objeto indireto circunstancial do verbo transitivo circunstancial acima, ou seja, lugar de onde provém o “que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo”)
Assim sendo, fica entendido:
"Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Donde procede (O PARAKLETOS), Senhor, que (TU) estás para manifestar-TE a nós e não ao mundo?".

Analisando
Se Jesus estivesse falando sobre uma outra pessoa e Judas assim entendesse, o verbo "estar" estaria na terceira pessoa do singular (ele está) e não na segunda pessoa do singular (tu estás); e o verbo manifestar estaria acompanhado de um pronome SE, da terceira pessoa do singular e não TE, da segunda pessoa do singular que faz referência a Ele mesmo.
No verso 23 Jesus então explica a Judas que se alguém O amar guardará a Sua palavra e será amado pelo Pai; e ambos virão e farão morada nele.
Ambos é a referência de Deus, em Gênesis, para Elohim - o Espírito Santo de Deus que pairava sobre a face das águas.
Já que entendemos que o nosso corpo é templo do Espírito Santo (I Cor. 3:16), então ambos habitarão nosso corpo. Fica mais fácil, agora, de entender Romanos 8:9-11; "Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Se, porém, Cristo está em vós o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa da justiça. Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do Seu Espírito, que em vós habita".
No verso 24 novamente Jesus afirma que era o Pai quem habitava nEle e quem Lhe comunicava o que havia de dizer e reafirma que os próprios discípulos, aqueles a quem O amassem e fizessem a Sua vontade, a esses o Pai lhes enviaria o Espírito Santo, o Consolador e, também habitando neles, seriam instrumentos e porta-vozes do Pai. E no verso 28 Jesus reitera o que estava dizendo a Judas sobre Si, como o que iria e voltaria para estar junto deles: "Ouvistes que Eu vos disse: vou e volto para junto de vós. Se Me amásseis, alegrar-vos-íeis de que Eu vá para o Pai, pois o Pai é maior do que Eu".
Sabemos que Deus não vive em nós em Sua forma corporal, porém, Sua presença está entre nós. Embora não possamos vê-Lo, podemos senti-Lo, sentir o Seu poder e Sua presença, Sua atuação. Foi isto o que Ele prometeu em Sua palavra. Este é o verdadeiro significado da vida eterna: Conhecer de maneira muito especial o verdadeiro Deus (O Pai), e viver um relacionamento pessoal com Ele como o único Deus verdadeiro; e conhecer e viver íntima comunhão com Seu Filho, Jesus Cristo. "E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste" (João 17: 3)


Um comentário:

mercita_mel disse...

Olá amada, o seu blog é 10! Realmente tenho visto coisas que antes para mim não tinham importância. Agradeço a Deus por nos trazer estas informações que muitas vezes passam despercebidas!